Um grupo de amigos que adora falar sobre jogos, filmes, seriados e outras coisas geek.

Morre Stan Lee, com 95 anos

Morre Stan Lee, com 95 anos

O Stanley Martin Lieber, nosso Stan Lee, nasceu em 28 de dezembro de 1922 em Nova York, então não é por acaso que ele ambientou a maior parte das suas criações ali. Ele começou a sua carreira, que o levaria a ser o roteirista e empresário mais conhecido da indústria dos quadrinhos antes dos seus vinte anos na Timely Comics, que viria a ser a Marvel. Daí foram vinte anos, entre pequenos altos e baixos, para atingir o sucesso na década de 60, com o quarteto fantástico em 6, o homem aranha em 62 e os Vingadores em 63. 

Para isso o Stan Lee contou com o Jack Kirby, e o Steve Ditko, que também faleceu esse ano. Eles foram a força inicial da Marvel Comics, que hoje é uma marca que ultrapassou os quadrinhos, levando suas histórias fantásticas, e também valores super bacanas, para milhões. Porque muito mais do que só repetir histórias de mocinhos contra bandidos, ele mudou a mídia ao forçar as suas barreiras, abordando temas como o vício em drogas, e sempre marcou posição contra o preconceito e a intolerância nos seus editoriais.

Vamos ser francos. Fanatismo e racismo estão entre os mais graves males sociais que assolam o mundo hoje. Mas, ao contrário de uma equipe de super-vilões fantasiados, eles não podem ser interrompidos com um soco na fuça, ou um zap de uma arma de raios. A única maneira de destruí-los é expondo-os – para revelá-los pelos males insidiosos que realmente são. O fanático é um odiador irracional – alguém que odeia cega, fanaticamente, indiscriminadamente. Se sua neura é negros, ele odeia TODOS os homens negros. Se uma ruiva uma vez o ofendeu, ele odeia TODOS os ruivos. Se algum estrangeiro o venceu para um emprego, ele está contra TODOS os estrangeiros. Ele odeia pessoas que ele nunca viu – pessoas que ele nunca conheceu – com igual intensidade – com igual veneno.Agora, não estamos tentando dizer que não é razoável para um ser humano não gostar de outro. Mas, embora qualquer pessoa tenha o direito de não gostar de outro indivíduo, é totalmente irracional, patentemente insano condenar toda uma raça – desprezar uma nação inteira – para aviltar uma religião inteira. Mais cedo ou mais tarde, devemos aprender a julgar uns aos outros por nossos próprios méritos. Mais cedo ou mais tarde, se o homem quiser ser digno de seu destino, devemos preencher os corações com tolerância. Pois então, e somente então, seremos realmente dignos do conceito de que o homem foi criado à imagem de Deus – um Deus que nos chama TODOS – Seus filhos.

E como sabemos, a fórmula de não subestimar os jovens deu super certo. Tão certo que hoje temos desenhos, jogos, e principalmente filmes, que levaram o seu rosto para milhões. Se antes só os fãs de hq conheciam a figura do senhor sorridente e grisalho de óculos escuros, hoje ele é mundialmente conhecido pelas suas participações especiais nos filmes da Marvel, a maioria hilária, algumas emocionantes, mas todas significativas.

Sabe, eu acho que uma pessoa pode fazer a diferença

Vamos continuar nos divertindo muito com o seu legado, e ansiosos pelo que virá de artistas que vão se erguer nos ombros desse gigante para continuar a criar histórias e novos super heróis. E tentaremos manter viva a ideia de um mundo melhor que o Stan Lee nos legou, construindo pontes de comunicação para que possamos cada vez mais compreender o outro, ao invés de odiá-lo. 


Leave a Reply

Your email address will not be published.